Startups de Pernambuco geram impacto social

Produção Printec Comunicação/ Artemisia

Em expansão nos países emergentes, os negócios de impacto social têm se destacado ao propor um modelo de empresas que oferecem, de forma intencional, soluções escaláveis para problemas sociais da população de baixa renda. A Artemisia, pioneira no Brasil no fomento de negócios de impacto social, há mais de uma década tornou-se uma das protagonistas desse movimento no Brasil. Neste ecossistema de negócios de impacto social, destacam-se empreendedores como os pernambucanos Carlos Pereira e Paulo Henrique Rodrigues; Fred Vasconcelos e Luciano Meira; e Orestes Maciel Câmara Freire – fundadores, respectivamente, da Livox, Joy Street e MultiOrto, negócios de impacto social nas áreas de Educação e Saúde. Em comum, as empresas têm a aceleração da Artemisia e o fato de oferecerem serviços de qualidade para a população de Pernambuco.

A Livox é um negócio de impacto social voltado para o desenvolvimento de produtos, soluções, serviços e treinamentos, que viabilizam a inclusão social e a acessibilidade de pessoas com deficiência no convívio familiar e social. O produto surgiu da necessidade dos pais – Carlos Edmar Pereira e Aline Costa Pereira – de se comunicarem melhor com a filha Clara Costa Pereira, que tem paralisia cerebral. Analista de sistemas, Carlos reuniu uma equipe de colaboradores formada por profissionais de tecnologia, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais para criação do primeiro software de comunicação alternativa para tablets em português. A empresa foi apontada pelo World Summit Awards (WSA) Mobile 2015 como destaque entre os conteúdos mais inovadores para dispositivos móveis e que coopera com a Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação.

Os negócios de impacto social pernambucanos são exemplos de sucesso. A Joy Street, empresa  de soluções para a educação com jogos digitais fechou, em 2015, uma parceria para receber um aporte de R$ 2,5 milhões do Criatec II – o maior fundo de investimentos nacional aplicado ao empreendedorismo e inovação. A empresa criada por Fred Vasconcelos e instalada no Porto Digital, em Recife, desenvolve projetos digitais de aprendizagem que já causaram impacto em mais de 150 mil estudantes.

Na área da saúde, a MultiOrto combate a falta de acesso da população de baixa renda à odontologia. O grande desafio, segundo o empreendedor Orestes Maciel Câmara Freire, foi criar um modelo realmente acessível a essa população e de alta qualidade. Hoje, a empresa oferece serviços especializados em ortodontia com atendimento rápido e de baixo custo – capaz de atender em larga escala no Nordeste.

O impacto social desse negócio está associado ao fato de que, no Brasil, 35% da população precisa de tratamento ortodôntico, que é deficiente no SUS e tem um alto custo em clínicas convencionais. A falta de tratamento causa problemas como dores de cabeça, problemas respiratórios e baixa autoestima. A questão da saúde bucal é falha no país e o problema é ainda mais grave no Norte e Nordeste. Com os serviços oferecidos pelo negócio, a população de baixa renda consegue ter acesso a exames e tratamentos odontológicos de baixo custo. A empresa foi criada em 2004 e já conta com 18 clínicas em Pernambuco.

Relacionados